sábado, 25 de março de 2017

ONS avalia pontos de rios da Mata Atlântica e somente 2,5% têm água boa


Nesta quarta-feira, 22 de março, Dia Mundial da Água, a Fundação Mata Atlântica divulgou um relatório que apontou que a qualidade da água é boa em apenas seis de 240 pontos que foram analisados nas bacias localizadas nesse bioma.
 
O relatório que mostrou o resultado de 1.607 análises da qualidade de água, em 240 pontos que estão localizados em 11 estados brasileiros. apontou que nenhum ponto que foi monitorado apresentou parâmetros necessários para considerar que a água é boa.

Em 168 (70%) a água é considerada regular, em 63 (26,3%) é considerada ruim e em 3 pontos (1,2%) a água é classificada como péssima.

Fonte: globo.com

'Maquiagem verde' e sinergia entre ecologia e economia

sábado, 17 de dezembro de 2016

Artigos Comunicadores


Leia a matéria comentada anteriormente...

Em um ano, Amazônia perdeu 859 árvores por minuto


Enviado em 14 de dezembro de 2016 | No programa: Ação Planeta |
 Escrito por André Trigueiro | Publicado por Vanessa Cavalcanti


Entre agosto de 2015 e julho de 2016, a Amazônia perdeu 859 árvores por minuto. Esses 7.989 km² de destruição equivalem a cinco vezes a área total do município de São Paulo e confirmam uma perigosa tendência de descontrole sobre o desmatamento, já que este é o terceiro ano seguido de aumento da destruição da floresta.

Na opinião de especialistas, há uma relação desses dados com o Código Florestal aprovado em 2012 sob as bênçãos do então relator, o deputado Aldo Rabelo, que o dedicou “aos agricultores brasileiros”.

De nada adiantaram as advertências de que o texto fragilizava os mecanismos de proteção das áreas verdes, os protestos da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, a denúncia da Agência Nacional de Águas de que o texto aprovado ameaçava a resiliência das bacias hidrográficas, a veemente crítica de Aziz Ab’Saber –um dos maiores cientistas do país– de que o código favorecia os que têm mais dinheiro.

Aprovada e sancionada, a nova lei estabelecia um prazo para que os proprietários rurais preenchessem o CAR (Cadastro Ambiental Rural) e, dessa forma, se enquadrassem nas regras de proteção que definiam um percentual de área verde preservada que variava de acordo com o bioma onde estivesse inserida (80% de proteção na Amazônia, 35% no cerrado, 20% nos Campos Gerais, e 20% em biomas das demais regiões do país).

O prazo definido para o preenchimento do CAR já expirou sem que a totalidade dos proprietários tenham cumprido a lei, o que obrigou o governo a prorrogar a data final de entrega do documento para 31/12/2017.

Para o Ministério do Meio Ambiente, proprietários rurais estariam desmatando áreas de floresta antes de formalizarem a entrega do CAR, o que explicaria em parte o avanço do desmatamento (outra causa possível é a falta de recursos, que paralisa a fiscalização).

O ministério assegurou dispor de meios que permitem flagrar essa tentativa de fraudar a produção de dados, e afirmou aguardar o sinal verde da Controladoria Geral da União para divulgar os números já reunidos, permitindo assim que qualquer um possa monitorar eventuais desmatamentos ilegais. O anúncio elevou a tensão entre os ruralistas.

Para ler esse texto até aqui, caro leitor, você consumiu tempo suficiente para a destruição de mais 1.289 árvores. Até hoje, uma área verde equivalente a metade do Estado do Amazonas já foi destruída na maior floresta tropical do mundo. Desmatamento ilegal é crime. Mas quem vai para a rua pedir o fim dessa impunidade?


Fonte: Folha de S. Paulo
Publicação: mundosustentavel.com.br

Foto ilustrativa: pexels.com

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Dicas de Sustentabilidade e Consciência Ecológica



Lâmpadas LED têm menor impacto no meio ambiente 
e deixam a conta de luz mais barata!



Confiram 5 formas de uso pra água captada da chuva.

• Irrigação de jardins;
• Descargas dos vasos sanitários;
• Limpeza de automóveis e áreas externas;
• Lavagem de roupas;
• Abastecimento de fontes e espelhos d’água;

Conheça nossas Mini Cisternas!
www.casologica.com.br
contato@casologica.com.br
11 2381-8759
— com Rafael Greco.

Fonte: Juventude Sustentável